Top 4 erros comuns que as pessoas endividadas cometem!

JR/ junho 21, 2019/ Finanças/ 0 comments

Quando estamos endividados, começamos a fazer coisas pouco inteligentes. Isso é cientificamente provado, pessoas em estado de pobreza e com problemas de dinheiro tomam atitudes menos inteligentes e passam a causar mais problemas para si mesmos e aqueles ao seu redor.

Por isso é importante ter em mente que no momento em que você entra em um ciclo de dívidas, é importante sair o quanto antes e reformular a sua vida financeira para que isso não ocorra mais.

Vamos mostrar os 5 erros mais comuns de pessoas endividadas e como contorná-los de forma inteligente. Você vai aprender que esse tipo de situação é desenhada para ocorrer, pois muito dos lucros dos bancos ocorrem colocando as pessoas em situação de dívida.

Vamos lá?

1- Não controlar seu orçamento adequadamente!

Na verdade, poucos vão te dizer isso, mas a realidade é que você chegou a esse problema exatamente porque não cumpriu esse passo adequadamente. Uma série de problemas poderiam ter sido evitados com isso, mas geralmente achamos que isso é bobagem, ou somos submetidos a problemas inevitáveis, como falta de emprego ou queda nos ganhos.

De agora em diante, ficar de olho na conta e nos gastos passa a ser fundamental para a sua saída do time dos endividados para o time dos financeiramente estáveis. Mais do que te te dar a ilusão de que você vai ser rico, no JR finanças queremos te ensinar a ser uma pessoa consciente da sua situação financeira.

Inclusive existem vários artigos no blog falando sobre formas diversas de fazer esse controle.

2- Não traçar planos e metas realistas e coerentes.

Esse erro pode parecer pouco relevante, mas na realidade ele faz toda a diferença. Poupar sem objetivo se torna vazio com o tempo e os inimigos do seu orçamento encontram caminho livre para fazer com que você gaste mais do que deveria.

Se você tem aquela viagem para fazer, aquele carro para comprar, aquela casa para pagar á vista, aquele curso para fazer, você não desperdiça seu dinheiro em futilidades e coisas que você compra para ter mais sentido na sua vida ou para se sentir especial.

3- Usar crédito caros e de fácil liberação!

Uma frase simples vai te ajudar a entender toda essa questão: os bancos não são seus amigos. Toda a oferta de crédito tem uma ‘pegadinha” uma dificuldade, uma forma de fazer você pagar mais do que retirou.

O cheque especial e o cartão de crédito são as formas mais simples de crédito, e também as mais prejudiciais para a sua vida, porque seus juros são absurdos e um dos principais motivos das pessoas estarem em dívidas hoje em dia.São verdadeiras armadilhas dos bancos prontas para pegar os incautos e fazer deles o que quiser.

Aprenda a lidar com o crédito de forma mais inteligente e coerente. Adquira crédito com o banco com taxas mais baixas ( mesmo que com mais dificuldade) e faça com que a sua fase de dívidas diminua consideravelmente.

4- Manter investimentos enquanto se afunda em dívidas!

Isso é mais comum do que aparece, mas pessoas tem bens ativos e investimentos e não os liquidam mesmo com todas as dificuldades financeiras que enfrentam. Isso é errado por um conceito que você precisa ter sempre em mente: os juros do dinheiro investido são menores do que os juros da dívida, então você está perdendo dinheiro.

Se você tem um fundo de emergência, esse é o momento de usá-lo. Não acredite quem disse que os valores estão rendendo mais no investimento do que se perdendo na dívida, porque isso só acontece em investimentos altamente voláteis e esse tipo de investimento pode literalmente desaparecer em um piscar de olhos.

Dica bônus!

Não caia no conto do “limpo seu nome”. Nenhuma pessoa consegue fazer isso sem pagar a sua dívida. Isso é golpe!

Gostou desse conteúdo? Se você conhece alguém que está com problemas de dinheiro, indique nosso blog. Tratamos de educação financeira de forma simples e eficiente, para que você possa acompanhar nosso conteúdo independente da sua experiência ou conhecimento prévio!

Share this Post

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>
*
*